Cargando resultados

Cargando Resultados...

Estes são os quatro ganhadores do Prêmio Gabo 2019

O Prêmio Gabo que está na sua sétima edição, anuncia aos ganhadores das quatro categorias do concurso: Texto, Imagem, Cobertura e Inovação. Estes trabalhos foram selecionados por 53 jurados em três etapas de avaliação como sendo os melhores da Ibero-América entre as 1.730 inscrições realizadas.

Os trabalhos ganhadores são: La sangre nunca fue amarilla (Cuba), na categoria Texto; America First: El legado de una redada migratoria (Estados Unidos), na categoria Imagem; El país de las dos mil fosas (México), na categoria Cobertura; e Mujeres en la vitrina, migración en manos de la trata zonadivas.info (Venezuela – México), na categoria Inovação.

Durante a premiação, também foi entregue o Reconhecimento à Excelência Jornalística  ao fotojornalista Jesús Abad Colorado, e o  Reconhecimento Clemente Manuel Zabala para Luis Enrique Rodríguez um editor colombiano exemplar, diretor do  serviço alterno da Caracol Rádio.

Estes são os trabalhos ganhadores:

Texto

La sangre nunca fue amarilla

Autora: Mónica Baró Sánchez (Cuba).
Meio: Periodismo de Barrio.

La sangre nunca fue amarilla é  uma reportagem  que reconstrói um caso de envenenamento por chumbo em um bairro de Havana, Cuba, baseado na exploração das memórias  e medos de seus protagonistas. O envenenamento começou na década dos anos 50 do século passado, mas ninguém estava ciente desse envenenamento até o final de 2006.

Imagem

America First: El legado de una redada migratoria

Autores: Almudena Toral (España), Andrea Patiño Contreras (Colombia), Mauricio Rodríguez Pons (Venezuela), Gerardo del Valle (Guatemala), Ronny Rojas (Costa Rica), Juanje Gomez (España), Ricardo Weibezahn (Venezuela), Anna Clare Spelman (Estados Unidos) Nacho Corbella (Argentina), Jose F. López (Colombia) y Selymar Colón (Puerto Rico).
Meio: Univision Noticias Digital (Estados Unidos).

Um especial multimídia bilíngue e um documentário de 42 minutos buscam contextualizar o aumento de prisões de imigrantes indocumentados e operações de imigração por parte do governo de Donald Trump nos EUA, através das poderosas lições de uma cidadezinha em Lowa, onde há anos aconteceu uma das maiores operações policiais da história do país.

Cobertura

El país de las dos mil fosas

Autores: Alejandra Guillén, Mago Torres, Marcela Turati, David Eads, Erika Lozano, Paloma Robles, Aranzazú Ayala, Alejandra Xanic, Queso y Mónica González Islas, Gilberto Lastra, Mayra Torres, Juan Carlos Solís (✝), Ana Ivonne Cedillo, Gabriela De la Rosa, Sandra Ley, Pedro Pardo, Félix Márquez, Queso, Rafael del Río (México).
Meio: A dónde van los desaparecidos, Quinto Elemento Lab.

El país de las dos mil fosas mostrou, pela primeira vez, a expansão da descoberta de fossas clandestinas no México entre 2006 e 2016 durante o período estratégico de segurança chamada “Guerra contra las drogas”. Esta investigação é o resultado de trabalho de campo e documentos públicos obtidos por um grupo de jornalistas independentes ao longo de um ano e meio.

Inovação

Mujeres en la vitrina, migración en manos de la trata – zonadivas.info

Autores: Mónica González Islas (México), César Batiz (Venezuela), Jaled Abdelrahim Aranda (España), Fernando Santillán (México), Jacobo Nájera (México), Lydiette Carrión (México), Sheyla Urdaneta (Venezuela), Gloria Betsabe Piña (México), Marco Antonio Gutiérrez (México), Landybel Pérez (México), Alfredo Domínguez (México), Amit Dorenbaum (México), Mario Báez (México), Diego Aguilar (México), Héctor Cárdenas (México), Marco Jasso (México), Hugo Muñoz (México), Edgar Villeda (México), Tatiana Cañón (Colombia), Aida Quintanar (México), Beatriz Vernon (México), Alejandro Elizondo (México), Alejandro Meléndez (México), Javier García (México), Liz Gascón (Venezuela), Nadeska Noriega (Venezuela), Lorena Bornacelly (Venezuela), Alma Ariza (Venezuela), Elsy Torres (Venezuela), Andrea Tosta (Venezuela), Gabriel Batiz (Venezuela), Christian Mijares (Venezuela), Claudia Lizardo (Venezuela), Christopher Colmenares (Venezuela), Marian Piñango (Venezuela) y Alexis Navarro (Venezuela).
Meios: Pie de Página, Fusión, Enjambre Dígital (México) y El Pitazo, TalCual, Runrunes (Venezuela).

Mujeres en la vitrina  é uma investigação sobre o tráfico de mulheres no México e na Venezuela. O portal, que tomou como referência o site original de zonadivas.com, mostra a investigação de uma equipe de jornalistas de seis meios de comunicação e dois países após o assassinato de mulheres venezuelanas, argentinas e mexicanas envolvidas com o portal.

Sobre o Prêmio Gabo e o Festival Gabo

É convocado pela Fundação Gabo com o objetivo de incentivar a busca pela excelência, inovação e coerência ética no jornalismo, inspirado nos ideais e na obra de Gabriel García Márquez, assim como na dinâmica de inovação, criatividade e liderança que caracterizam a cidade de Medellín, Colômbia.

O Prêmio Gabo e o Festival Gabo são possíveis graças à parceria público-privada formada pela Prefeitura de Medellín e pelos grupos Bancolombia e SURA com suas filiais na América Latina.

Para acompanhar as notícias do Prêmio Gabo e do Festival Gabo, você pode assinar nosso boletim ou nos seguir em nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Comentarios:

avatar
  Suscribir  
Notificar de
Hecho con por