Conheça os melhores trabalhos jornalísticos brasileiros dos últimos 15 anos

Foto: Natalia Viana, vencedora do Prêmio Gabo 2016 na categoria Texto.

O jornalismo brasileiro tem sido protagonista da história dos prêmios entregues pela FNPI – Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Ibero americano – em suas duas décadas de existência.

Durante a premiação do primeiro Prêmio Novo Jornalismo Cemex+FNPI – antecessor do atual Prêmio Gabo – em 3 de abril de 2002 foi o próprio García Márquez quem entregou os prêmios. “Essa é a reportagem que cedo ou tarde muitos repórteres gostariam de ter escrito”, disse ao dirigir-se aos primeiros vencedores da categoria Texto: os brasileiros Claudio Cerri e o fotógrafo Ernesto de Souza, da revista Globo Rural. Conheça mais sobre o Premio Gabo aqui.

Daí em diante, observou-se uma rica história de trabalhos brasileiros que foram reconhecidos como vencedores e finalistas das cinco edições do Prêmio Gabo e nas nove versões do Prêmio Novo Jornalismo Cemex+FNPI. A lista a seguir contem todos os 22 trabalhos que se imortalizaram como as melhores reportagens feitas no jornalismo da Ibero-américa nos últimos quinze anos. Leia-los e inscreva-se no Prêmio Gabo 2018 nas categorias Texto, Imagem, Cobertura e Inovação até 24 de maio.

 

A onda
Finalista Categoria Texto Prêmio Gabo 2017
Consuelo Dieguez
Meio de Comunicação: Piauí

Em novembro de 2015 a gigantesca barragem de resíduos de mineração Fundão rompeu sobre a população de Bento Rodrigues, no estado de Minas Gerais, Brasil. O colapso da barragem se transformaria na pior tragédia ambiental brasileira e o acidente mais grave – único do gênero – da história da indústria da mineração mundial. Apenas na primeira meia hora, 19 pessoas morreram em função do rompimento da barragem. As vidas de milhares de pessoas localizadas ao longo dos 650 quilômetros tomados pelo lodo da barragem foram afetadas para sempre. A reportagem conta a história de sete vítimas e dos responsáveis pela tragédia. (ler em espanhol).

Entre os homens de bem
Finalista Categoria Imagem 2017
Caio Cavechini, Carlos Juliano Barros, Mauricio Monteiro Filho e Caue Angeli Ramos
Meio de Comunicação: Cinema/Canal Brasil

Este documentário acompanhou durante três anos os passos do deputado Jean Wyllys, porta-voz da causa LGBT no Brasil. Entre os homens de bem é o prólogo do atual cenário das crises de representatividade e de polarização na política brasileira. É um documentário que bebe da fonte do reality show e do cinema para revelar a personalidade de Wyllys e traçar linhas de discussão e provocação sobre temas atuais: a cultura de massas, a tolerância, os direitos civis e a política em todas suas formas.

São Gabriel e seus demônios
Vencedora Categoria Texto Prêmio Gabo 2016
Natalia Viana
Meio de Comunicação: Agência Pública

A autora quis descobrir por que o município com maior população indígena do Brasil também é aquele com o maior índice de suicídios. Com 80% de população indígena e uma história violenta de contato com brancos, a cidade de São Gabriel enfrenta uma onda de suicídios por enforcamento, sobretudo entre jovens e adolescentes. Os familiares e amigos das vítimas contam que elas se suicidaram depois de terem sido aterrorizadas por seres obscuros, parentes mortos ou inclusive pelo próprio diabo. Para investigar esse fenômeno, a repórter escarafunchou conhecimentos históricos, sociológicos e espirituais dos 23 povos que habitam a região. Escutou dezenas de pessoas, de familiares a xamãs e militares.

Jaci: Sete pecados de uma obra amazônica
Vencedor Imagem Prêmio Gabo 2016
Caio Cavechini, Carlos Juliano Barros, Ana Aranha, Caue Angeli, Marcelo Min e Leonardo Sakamoto.
Meio de Comunicação: Repórter Brasil – Globo News

O documentário conta a história da revolta de trabalhadores que parou a construção de uma das maiores hidrelétricas do Brasil, responsável por alojar 25 mil trabalhadores no meio da selva amazônica, custou R$ 15 bilhões e consumiu mais de dois milhões de metros cúbicos de concreto para represar o imponente Rio Madeira, em Rondônia. O documentário seguiu por quatro anos as aventuras dos trabalhadores procedentes de diversos estados responsáveis por erguer a obra sob o sol inclemente de Rondônia. Utilizou-se mais de 30 tipos de câmera para o documentário, que conta com imagens internas que apenas os trabalhadores puderam captar.

O lado oculto das contas de hospital
Finalista categoria Texto Prêmio Gabo 2015
Cristiane Segatto.
Meio de Comunicação: Revista Época

Em março de 2013 a revista norte-americana TIME dedicou uma seção inteira a um texto de Steven Brill sobre como os custos e as contas da área da saúde afetam a economia do país. Inspirado por este trabalho, o chefe de redação Helio Gurovitz pediu que Cristiane Segatto investigasse o mesmo tema no Brasil. Durante sete meses a repórter apurou nos tribunais denúncias de hospitais privados contra pacientes por inadimplência. A reportagem conta as histórias das famílias que faliram por enfrentarem contas estratosféricas e revela a forma distorcida na qual hospitais e clínicas estabelecem suas tarifas. O texto também aborda as mudanças que deveriam ser feitas para que o sistema de saúde privado seja mais justo e eficiente.

Minha casa, minha sina
Finalista categoria Cobertura Prêmio Gabo 2015
Rafael Soares, Luã Marinatto
Meio de Comunicação: Jornal Extra

Esta série conta um paradoxo dramático: uma iniciativa do Estado para melhorar a vida dos mais pobres é anulada pela entrada de grupos criminosos que deixam o Estado impotente. Em um ambiente de violência urbana descontrolada e impune, os repórteres mostraram que traficantes de drogas e grupos paramilitares expulsaram famílias de prédios e apartamentos entregues pelo programa carro-chefe do governo federal brasileiro “Minha Casa, Minha Vida”. Os grupos tomaram conta de cada um dos 64 complexos de apartamentos construídos pelo programa no Rio de Janeiro. Assim como fazem nas favelas das quais migraram os beneficiários do programa, os criminosos expulsaram moradores e passaram a cobrar alugueis, extorsões e amedrontar os moradores que decidiram ficar nos edifícios.

Severinas
Finalista categoria Imagem Prêmio Gabo 2014
Eliza Capai e a equipo da Agência Pública
Meio de Comunicação: Agência Pública

Este mini documentário se enfoca na investigação da relação entre as políticas de distribuição de renda e o surgimento de uma nova onda de feminismo no interior do Brasil. Dez anos depois da implementação do programa de distribuição de renda “Fomes Zero”, hoje chamado de “Bolsa Família”, a equipe apurou como, ao privilegiar a mulher como recebedora da renda do programa, começou-se a mudar o secular machismo nessa região.

A batalha de Belo Monte
Finalista categoria Inovação Prêmio Gabo 2014
Marcelo Leite e equipe de Folha de São Paulo
Meio de Comunicação: Folha de São Paulo

É a primeira grande reportagem brasileira publicada em formato puramente digital, combinando recursos de texto narrativo, infográficos animados e estatísticas, além de vídeos, videoloops e fotografias em vários formatos. Foi uma iniciativa importante para a Folha de S. Paulo começar a criar uma linguagem e uma cultura próprias de grandes reportagens no formato difícil que coloquem os recursos a serviço de um tema de grande relevância social. A Batalha de Belo Monte foi lida por mais de 300 mil pessoas no Brasil e no exterior.

Memórias No Chumbo – O futebol nos tempos do Condor
Ganador categoría Cobertura Prêmio Gabo 2013
Lucio Castro
ESPN

Trata-se de uma investigação aprofundada sobre as relações de futebol e as ditaduras militares da América do Sul nos anos 60, 70 e 80 no Brasil, Argentina, Chile e Uruguai. Esses relatórios mostram como os governos militares usaram o futebol como ferramenta de propaganda e mantiveram um controle firme sobre o esporte. Veja a parte 2. Veja a parte 3. Veja a parte 4.

 

Especial Paraguai
Finalista categoria Texto Prêmio Gabo 2013
Natalia Viana
Meio de Comunicação: Agência Pública

Especial Paraguai é uma série de 5 reportagens que narram o processo que terminou com o impeachment do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, em 22 de junho de 2012. O especial se propõe a descobrir se esse processo foi uma conspiração ou um exercício legítimo democrático e consegue entregar uma resposta efetiva, mostrando fatos e detalhes que vão acompanhados de uma exaustiva documentação que são oferecidas ao leitor mais curioso.

Á flor da pele
Finalista categoria Imagem Prêmio Cemex+FNPI 2010
Alexandre Severo.Meio de Comunicação: Jornal do Commercio.

Três irmãos sobreviveram se escondendo da luz, buscando alegria no escuro. São filhos de uma mulher negra. O pai é moreno. Eles são negros de pele branca. Kauan, de 5 anos, Ruth, de 10, e Esthefany, de 8, têm a liberdade limitada porque precisam se proteger do sol. Além disso, são pobre e têm feridas. Não têm dinheiro para comprar protetor solar e a melhor solução que encontraram foi ficarem escondidos em casa, grudados na televisão. De vez em quando, Kauan, em um impulso de criança, desafia seu maior inimigo, fecha os olhos e sai correndo como um louco pela rua. Isso significa mais uma noite de ardência e um ventilador ligado a máxima velocidade. Sem protetor solar, ir à escola, a 200 metros de casa, é um martírio. Assim transcorre a vida deles. Esta é a história cotidiana de uma família com muitas dificuldades, mas também com sonhos e alegrias que vão além de sua condição física e econômica.

A reunião que radicalizou a ditadura
Finalista categoria Internet Prêmio Cemex+FNPI 2009
Chico Felitti, Elio Gaspari, Nancy Dutra, Matheus Gomes e Gerardo Rodríguez.
Meio de Comunicação: Folha de S. Paulo Online, Brasil.

Este especial divulga uma medida adotada pela ditadura militar do Brasil desconhecida por grande parte da população. Mediante a recuperação de uma gravação, reconstrói de maneira gráfica e interativa a reunião na qual foi assinado o decreto que eliminou o Habeas Corpus para delitos políticos. O “Ato Institucional N. 5” facilitou a radicalização da ditadura militar e, segundo os autores, abriu caminho para um tempo de torturas, assassinatos e desaparições.

Longe da casinha de boneca
Vencedora Categoria Internet Prêmio Cemex+FNPI 2007
Juliana De Melo
Meio de Comunicação: JC Online

Este informe multimídia utiliza recursos diversos como áudios, vídeos, fotos e textos para denunciar o drama de crianças e adolescentes vítimas de trabalho doméstico infantil. O trabalho mostra uma trama que envolve falta de estudo, pouco dinheiro, humilhações e vulnerabilidade frente a violência física e sexual. Além de oferecer uma descrição do fenômeno, submerge nas distintas esferas do trabalho doméstico infantil para olhá-lo desde os pontos de vista social, econômico e psicológico. Oferece também links úteis a documentos legislativos, estatísticas e denúncias, que aumentam seu valor jornalístico e a profundidade com a qual tratou o tema.

Educação sem fronteiras
Finalistas categoria Internet Prêmio Cemex+FNPI 2007
Gustavo Berlamino e Inês Calado
Meio de Comunicação: JC Online.

Esta reportagem multimídia relata os esforços de cinco polos de desenvolvimento de uma das regiões mais pobres do Brasil: Pernambuco. A reportagem percorreu 2.700 km que revelam os esforços para diminuir as desigualdades sociais e promover o crescimento da população pernambucana. O trabalho mostra, com uma boa mistura de linguagem visual e narrativa, como a educação é um ponto crítico para que as comunidades atinjam seus objetivos. Um trabalho exaustivo de compilação de informações e relatos, combinados com estatísticas e imagens.

Luta pela terra
Finalista categoria Internet Prêmio Cemex+FNPI 2005
Juliana De Melo
Meio de Comunicação: JC Online

Esta é uma história que tem se repetido durante muitos anos na América Latina: a luta pela terra. A reportagem relata as manifestações dos camponeses de Pernambuco para que o governo federal cumpra os compromissos firmados de assentar quase nove mil famílias que esperam um pedaço de terra. O trabalho publicado na internet convida à interação do navegante, o que permite a abertura de um espaço para que o público opine sobre a reforma agrária, um dos temas centrais desta luta. O trabalho se aproveita muito bem da possibilidade de alimentar um tema com textos, fotos e vídeo ao mesmo tempo em que oferece uma grande quantidade de documentos.

Cerrado
Finalistas categoria Televisão 2005
Marcelo Canellas, Lucio Alves, Danielle Sarmiento, Joelson Maia.
Meio de Comunicação: Rede Globo

Uma das reservas ambientais menos conhecidas no planeta é o cerrado brasileiro. Trata-se de uma savana que ocupa 25% do território do país, com mais de duzentas espécies e uma grande reserva aquífera que abastece as principais bacias hidrográficas do continente sul-americano. Esta série de cinco reportagens televisivas denuncia sua destruição e alerta sobre sua possível desaparição nos próximos 30 anos. O trabalho também mostra como é possível aproveitar a reserva ecológica sem degradá-la com o relato de camponeses que, há muitos anos, vivem do que a região lhes dá.

Os passageiros da esperança
Finalista categoria Televisão Prêmio Cemex+FNPI 2005
Lúcio de Castro
Meio de Comunicação: Rede Globo

Uma equipe da terceira divisão quer ganhar o título de um campeonato de futebol no Brasil. O time representa uma cidadezinha na qual há poucas oportunidades, em uma região marcada pela violência e desigualdade social. Neste trabalho mostra-se como vivem os jogadores da equipe e como eles encontram no futebol uma das poucas oportunidades para mudar a realidade em que vivem.

Os órfãos do Brasil
Finalista categoria Texto Prêmio Cemex+FNPI 2004
Ana Beatriz Magno e Erica Montenegro
Meio de Comunicação: Correio Braziliense

As repórteres fazem um retrato impactante das angústias e esperanças de cerca de duas mil crianças e adolescentes brasileiras internadas em orfanatos, longe de suas famílias, marginalizadas da convivência social. São crianças que vivem em uma espécie de prisão sem ter cometido crime algum. (Ler en espanhol)

Controle público
Finalista categoria Internet Prêmio Cemex+FNPI 2003
Fernando Rodrígues
Meio de Comunicação: Folha Online e Universo Online.

Publicada nos sites de Folha de S. Paulo e Universo Online (UOL), trata-se de uma ampla investigação jornalística que reúne pela primeira vez os dados patrimoniais de mais de 6 mil políticos brasileiros, coletados de maneira meticulosa e persistente em tribunais eleitorais de todas as regiões do país. A internet foi utilizada neste caso para oferecer ao público acesso a toda essa informação de maneira dinâmica e individual, como nunca se havia visto antes.

Fome
Finalista categoria Televisão Prêmio Cemex+FNPI 2003
Marcelo Canellas, Lúcio Matildes Alves, Laura Fernández, María Aparecida Hipólito e Luis Olivera
Meio de Comunicação: TV Globo

Esta reportagem televisiva se destaca pela forma inovadora com a qual se aproxima da realidade da fome que vive uma grande parte da população, não só com seu trabalho de campo, mas também pelo dinamismo e qualidade de sua narrativa visual. Compõe-se de cinco capítulos com duração média de cinco minutos cada.

Um retrato da fome
Finalista categoria Rádio Prêmio Cemex+FNPI 2003
Filomena Salemme
Meio de Comunicação: Rádio Eldorado Brasil

Esta série foi transmitida pela emissora Rádio Eldorado. Compõe-se de cinco capítulos de três minutos cada. Conta a situação da fome no Brasil mediante um relato que consegue testemunhos muito pessoais, em uma viagem que começa no Piauí, no nordeste brasileiro, e vai até às periferias de São Paulo, no sudeste, e que mostra de maneira fresca, direta e sensível como os pobres enfrentam uma crise alimentar.

Um rio a procura de um país
Vencedor categoria Texto Prêmio Cemex+FNPI 2002
Claudio Cerri, Ernesto de Souza
Meio de Comunicação: Revista Globo Rural

Um especial em sete partes que explora o rio São Francisco, cuja correnteza passa por quatro Estados imensos do Brasil. Aborda questões fundamentais para toda a América Latina: a ruptura dos grandes equilíbrios ecológicos, as grandes mudanças sofridas por grandes comunidades que vivem com o amparo do rio, e a maneira como os sistemas culturais e de convivências vêm sendo destruídos por uma pretensa modernização. Sobre este trabalho, Gabriel García Márquez, então presidente da FNPI, disse ao entregar o prêmio: “é a reportagem que cedo ou tarde muitos repórteres gostariam de escrever”. Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6, Parte 7

Escola do crime
Finalista categoria Fotografia Prêmio Cemex+FNPI 2002
José Augusto Varella Neto
Meio de Comunicação: Correio Braziliense

Publicado em uma série de artigos, o trabalho retrata o ambiente penitenciário, enfatizando através de detalhes significativos a vida dos jovens na prisão. Varella visitou 18 centros de correção de menores em cinco cidades capitais, acompanhado a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

 

Sobre o Prêmio e Festival Gabo

Organizado pela FNPI- Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Ibero-americano, o prêmio tem o objetivo de incentivar a busca pela excelência e inovação, o rigor nas abordagens dos fatos, e a coerência ética no jornalismo inspirados pelos ideais e obras de Gabriel García Márquez e na dinâmica de inovação, criatividade e liderança que caracterizam a cidade de Medellín, na Colômbia. O Prêmio e o Festival são possíveis graças à aliança público-privada formada pela Prefeitura de Medellín e os grupos Bancolombia e Sura com suas filiais espalhadas pela América Latina.

Hecho con por